quinta-feira, 4 de março de 2010

MAIOR CAJUEIRO DO MUNDO - PARNAMIRIM-RN


Conhecido como cajueiro de Pirangi, está localizado na Praia de Pirangi do Norte em Parnamirim- RN, à 12 km ao sul da capital Natal, . A árvore cobre uma área de aproximadamente 8500 m², com um perímetro de aproximadamente 500 m e produz cerca de oitenta mil cajus por ano[1]. O cajueiro foi plantado em 1888, por um pescador chamado Luiz Inácio de Oliveira; o pescador morreu, com 93 anos de idade, sob as sombras do cajueiro.

O crescimento da árvore é explicado pela conjunção de duas anomalias genéticas. Primeiro, em vez de crescer para cima, os galhos da árvore crescem para os lados; com o tempo, por causa do próprio peso, os galhos tendem a se curvar para baixo, até alcançar o solo. Observa-se, então, a segunda anomalia: ao tocar o solo, os galhos começam a criar raízes, e daí passam a crescer novamente, como se fossem troncos de uma outra árvore. A repetição desse processo causa a impressão de que existem vários cajueiros, mas na realidade trata-se de dois cajueiros. O maior, que sofre da mencionada anomalia, cobre aproximadamente 95% da área do parque; existe também um outro cajueiro, plantado alguns poucos anos antes, que não sofre da anomalia.

O tronco principal divide-se em cinco galhos; quatro desses galhos sofreram a alteração genética, e criaram raízes e troncos que deram origem ao gigantismo da árvore. Apenas um dos galhos teve comportamento normal, e parou de crescer após alcançar o solo; os habitantes do local apelidaram esse galho de "Salário Mínimo". As raízes do cajueiro podem chegar a 10m de profundidade.

Em 1955, a histórica revista O Cruzeiro batizou o cajueiro de "O Polvo" e definiu o fenômeno como uma "sinfonia inacabada" de "galhos lançados em progressão geométrica". À época, a planta tinha 2 mil m2 de área. Em 1994, o cajueiro entrou para o Guiness Book[2].

Existe um mirante no próprio cajueiro que é muito frequentado por turistas. Dele, se tem uma visão panorâmica do cajueiro e da praia de Pirangi do Norte.

POLÊMICA

Atualmente existe um impasse provocado pelo crescimento do cajueiro que está invadindo a Rota do Sol (rodovia) e interferindo no trânsito na área do cajueiro, provocando grandes congestionamentos na alta estação turística. Alguns defendem a poda e outros não. Os que são contra a poda defendem que caso o cajueiro seja podado, o fenomeno de crescimento anormal poderá parar e inclusive matar a planta. O cajueiro não é podado desde 2000 e estima-se que deverá fechar a Rota do Sol em oito anos contando a partir de 2009.

Existem duas alternativas à podação da árvore. Uma, elaborada por arquitetos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), propõe a construção de um centro de artesanato elevado para que os galhos possam crescer livremente. A segunda proposta consiste na desapropriação de um imóvel residencial para a construção do centro de artesanato e estacionamento de ônibus e carros de passeio[

HISTÓRICO DA BARREIRA DO INFERNO

O primeiro registro oficial referente às atividades espaciais é de 1955, quando o então Cel Av Eng OSWALDO BALLOUSSIER apresentou uma exposição de motivos sobre o tema, propondo a criação de um Grupo de Trabalho específico, no Ministério da Aeronáutica, para estudar o assunto, entretanto, este grupo não foi criado.

Em 1956, em função de um acordo entre o Brasil e os Estados Unidos da América (EUA), foi instalada na ilha de Fernando de Noronha, uma estação de rastreio de engenhos aeroespaciais lançados de Cabo Canaveral. Técnicos americanos e brasileiros, gravavam os sinais das cargas úteis durante as suas passagens pelo arquipélago.

Este foi o primeiro contato com alguma forma de atividade espacial na chamada Corrida do Atlântico. Terminaram quando os americanos se retiraram e não houve continuidade por parte dos brasileiros.

Na certeza de que o Brasil não poderia prescindir da tecnologia espacial, foi criado em 10 de junho de 1964, o GTEPE (Grupo de Trabalho de Estudos e Projetos Especiais), subordinado ao Estado Maior da Aeronáutica (EMaer) e teve como presidente o Major Brigadeiro BALOUSSIER. Este grupo, em 02 de dezembro de 1966, ainda por Decreto, passou a chamar-se GETEPE (Grupo Executivo e de Trabalho de Estudos e Projetos Espaciais), tendo recebido então um Regimento Interno que lhe deu uma estrutura de Unidade.

As metas do GTEPE eram:

* Preparar as equipes especializadas em lançamento de foguetes;
* Estabelecer programas de sondagens metereológicas e ionosféricas em cooperação com organizações estrangeiras;
* Incentivar a indústria privada brasileira a galgar os degraus da tecnologia espacial; e
* Escolher o local no Brasil e nele construir um campo de lançamento de foguetes.

Para a escolha do local e construção do campo de Lançamento o GTEPE estabeleceu os seguinte parâmetros:

* Baixo índice demográfico
* Baixo índice pluviométrico;
* Área de impacto, inclusive para o primeiro estágio, em mar aberto;
* Fácil acesso;
* Proximidade de suporte logístico;
* Proximidade de um campo de pouso de grande porte;
* Dentro de uma faixa de no máximo 5º do Equador magnético;
* Possibilidade de alcançar a Anomalia Magnética do Atlântico Sul; e
* Um terreno com uma topografia de fácil ocupação.

Três locais haviam sido colocados nas cogitações do GETEPE: Fernando de Noronha, Aracati (CE) e Ponta Negra em Natal (RN), entretanto, após seleção e avaliação criteriosa, as duas primeiras foram descartadas e uma área vizinha a Ponta Negra foi escolhida por preencher o maior número de parâmetros exigidos. Esta área é denominada pelos “locais”, de Barreira do Inferno devido à presença de falésias avermelhadas que, no nascer do sol e quando umedecidas, refletem na água, raios vermelhos, e em épocas mais remotas um barco de pesca ali naufragara, com a morte de todos os seus ocupantes criando a lenda de que o local é demoníaco.

Em setembro de 1964, chega a Natal o Ten Cel Av LAURO KLÜPPEL JR, do GTEPE que, com a ajuda dos civis Potiguares e militares da Base Aérea de Natal, em 05 de outubro de 1964, iniciava a construção das primeiras instalações, concluídos em 19 de maio de 1965 os prédios que eram absolutamente necessários para o início das operações.

Enquanto se procedia a construção, a equipe técnica do GTEPE tratou de, no mais curto prazo, buscar a sua capacitação operacional por meio de instrução e treinamento realizados em São José dos Campos (SP) na Comissão Nacional de Atividades Espaciais (CNAE), na Argentina – Chamical – FAA e nos EUA – Goodard Space Fligth Center e Wallops Station – NASA.

O Campo de Lançamento foi oficialmente criado pela Portaria Ministerial Nº S – 139/GM3, de 12 de outubro de 1965.


Primeiro Lançamento

Chegada a Natal procedente da NASA, a equipe técnica do GTEPE executou a instalação dos equipamentos, operacionalizou o campo e executou em 15 de dezembro de 1965, às 16:28h hora de Brasília) o primeiro lançamento de foguete a partir de uma plataforma da Barreira do Inferno inaugurando as atividades espaciais no Brasil.

Esse lançamento que foi o primeiro de uma série de dois previstos em território brasileiro, ocorreu em função de uma cooperação entre países e dele participaram o GTEPE e a CNAE pelo Brasil e a NASA pelos Estados Unidos da América dando início ao projeto SAFO-IONO (Sondagens Aeronômicas com Foguetes na Ionosfera).

O foguete era um NIKE-APACHE cujas características eram:

* Número de estágios 02 (NIKE e APACHE);
* Peso total 1.595 libras (724 Kg);
* Comprimento total 28 pés;
* Peso da Carga útil 65 libras (29,5 Kg).

A carga útil do NIKE-APACHE teve por missão a coleta de dados para possibilitar o estudo das densidades diurna e noturna, de elétrons e íons, o fluxo de irradiação ultravioleta extremo e o fluxo de elétrons na faixa de 1 a 20 eletrovolts na ionosfera, entre 50 e 200 Km.

Participaram da operação dirigida pelo Cel Av MOACYR DEL TEDESCO e que teve como Diretor Científico o Dr FERNANDO DE MENDONÇA, 14 componentes do GTEPE e 05 integrantes da CNAE.

Estiveram presentes 08 observadores da NASA e o Exmo Sr Ministro da Aeronáutica Ten Brig do Ar EDUARDO GOMES.
FONTE - SITE DA FAB

CNBI - PARNAMIRIM RN


O CENTRO DE LANÇAMENTO DA BARREIRA DO INFERNO (CLBI), conhecido simplesmente como Barreira do Inferno, é a primeira base de lançamentos de foguetes do Brasil, que foi criada em 1965. Está localizado na Rota do Sol no município de Parnamirim, a 12km de Natal. Nela se concentram operações de lançamento de foguetes de pequeno e de médio porte.

O local da base é vizinho do bairro de Ponta Negra, região denominada "Barreira do Inferno", assim chamada devido às suas falésias avermelhadas.

O local foi escolhido pois é próximo do equador magnético; aproveitava o suporte logístico já existente; a região apresenta baixo índice pluviométrico; grande área de impacto representado pelo oceano e condições de ventos predominantemente favoráveis.

O centro é aberto a visitação da população e turistas, porém deve-se fazer um agendamento

AEROPORTO INTERNACIONAL AUGUSTO SEVERO


O aeroporto tem uma área de 11,3 mil metros quadrados e capacidade para 1,2 milhão de passageiros por ano. As instalações e os terminais de passageiros são climatizados através de equipamentos com capacidade de geração de 630 toneladas de ar fio.

Com uma área de 5,5 milhões de metros quadrados, o complexo aeroportuário desenvolve suas atividades em 16.482 metros quadrados de terminais de passageiros e carga e instalações administrativas e de manutenção.

A pista principal tem 2.600 metros e o pátio 37 mil metros quadrados. O Aeroporto é o único na Região Nordeste a receber vôos charters da Escandinávia.

História

O Aeroporto Internacional Augusto Severo foi construído durante a II Guerra Mundial com a finalidade de preparar uma base para operações de uma unidade tática de envergadura, a fim de enfrentar qualquer ameaça à segurança do hemisfério ocidental, servindo de base de apoio às forças aliadas.

Era conhecido originalmente como "Parnamirim Field" e recebeu o apelido de "Trampolim da Vitória" pois durante a Segunda Guerra em 1942, os aviões dos Estados Unidos pousavam em Natal para serem reabastecidos e então voarem para combater na África. Posteriormente esse apelido passou a designar a cidade de Natal. Quando o município de Parnamirim finalmente se tornou emancipado - em 1958 - é que o apelido passou para Parnamirim.

De 1943 a 1945, o aeroporto foi usado em conjunto pelo Exército e Marinha dos Estados Unidos, pela Royal Air Force, pelas linhas comerciais e pela Força Aérea Brasileira. A manutenção e segurança das instalações eram feitas pelo Exército dos Estados Unidos no Atlântico Sul (USAFSA).

No dia 31 de março de 1980, o Ministério da Aeronáutica transferiu à Infraero a missão de administrar o aeroporto. Nesta mesma data foram inauguradas as reformas realizadas nas instalações do terminal de passageiros.

Em 24 de março de 2000 foi inaugurado o novo terminal de passageiros pelo então Presidente da República Fernando Henrique Cardoso, com capacidade para 1,5 milhão de viajantes ao ano.

O seu nome homenageia Augusto Severo de Albuquerque Maranhão, potiguar que morreu num acidente de balão (junto com seu mecânico) na França, em 1902.

Localização

Localiza-se no município de Parnamirim, na Grande Natal, na BR-101, entrada sul, a principal entrada de Natal, tanto para quem vem de Fortaleza/Mossoró, como para quem vem de Recife/João Pessoa.

PARQUE ALUÍZIO ALVES

O Parque Temático Governador Aluízio Alves, inaugurado no dia 18 de março de 2007, é um dos cartões postais de Parnamirim. O parque faz parte de um complexo que conta com uma fonte luminosa, banheiros, pista de skate, playgroud e teatro de arena. Um rio artificial com 530 metros de extensão e uma réplica do Pico do Cabugi com uma estátua em tamanho natural do ex-governador Aluízio Alves são outros atrativos do local. O parque, localizado no bairro Cohabinal, pode ser visitado todos os dias das 7h às 22h.
PATRONO: Natural de Angicos, nascido a 11 de agosto de 1921 e faleceu em Natal no dia 6 de maio de 2006, deputado federal, governador do Rio Grande do Norte e ministro. Essa obra foi erguida na administração de Agnelo Alves, irmão de Aluízio Alves

MAIS

PREFEITO DE PARNAMIRIM RN


Maurício Marques dos Santos

Prefeito Municipal, eleito no dia 05 de outubro de 2008, tomou posse no dia 01 de janeiro de 2009.

Nasceu em São Mamede-PB em 23 de agosto de 1944. Casado com a enfermeira Maria Nazaré Silva dos Santos, tem duas filhas: Janaína Ketti Silva Marques Santos, Advogada e cursando Administração de Empresas e Millena Hanoika Silva Marques Santos, fisioterapeuta e empresária da área de gastronomia.Tem um neto, Lucas Marques Santiago.

Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) exerceu os seguintes cargos na CAERN no período de 01/10/1973 a 13/01/2001.

  • Chefe de seção do Distrito Oeste em Mossoró;
  • Chefe de seção de Administração do Distrito Litoral de Parnamirim;
  • Chefe de seção de Serviço Financeiro do Distrito Metropolitano de Natal;
  • Chefe de divisão Comercial Gerencial;
  • Chefe da Divisão de Finanças;
  • Gerente Comercial;
  • Gerente Financeiro;
  • Gerente Administrativo;
  • Chefe da Auditoria Interna;
  • Assessor do Diretor Administrativo;
  • Diretor Administrativo Financeiro;

Exerceu os seguintes cargos na Prefeitura Municipal de Parnamirim

  • Secretário de Administração e Finanças;
  • Secretário de Administração e RH;
  • Secretário-Chefe do Gabinete Civil;
  • Assessor Articulador Político e Parlamentar;
  • Membro do Comitê de Acompanhamento e Fiscalização de Obras e Serviços;
  • Membro do Conselho de Desenvolvimento Municipal de Parnamirim;
  • Vice Prefeito;

vice-prefeito de Parnamirim

Epifânio Bezerra de Lima

Vice-Prefeito Municipal, eleito no dia 05 de outubro de 2008, tomou posse no dia 01 de janeiro de 2009.

Nasceu em Natal-RN em 15 de maio de 1955, na maternidade Januário Cicco. Casado com a Sra. Cleide de Carvalho de Lima, assistente social e atual Vice-Prefeita de Várzea, tem dois filhos: Eni Augusto de Carvalho Lima, cursando o último ano em direito e Magno Estefano de Carvalho Lima, bacharel em direito.

Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), aluno laureado da turma de 1982.

Funcionário de carreira da Petrobrás, hoje aposentado

Exerceu os seguintes cargos:

  • Coordenador do setor de custos da gerência de geologia de petróleo;
  • 1993 a 1994 - Presidente da Câmara Municipal de Parnamirim;
  • 1995 a 1996 - Membro da comissão de Fazenda, Orçamento e Fiscalização Financeira da Câmara Municipal de Parnamirim;
  • 1997 a 1998 - Membro da comissão de Constituição, Legislação, Redação e Justiça da Câmara Municipal de Parnamirim;
  • 1999 a 2000 - Vice-Presidente da Câmara Municipal de Parnamirim e Presidente da Comissão de Fazenda,Orçamento e Fiscalização Financeira;
  • 2001 a 2002 - Membro da Comissão de Fazenda, Orçamento e Fiscalização Financeira da Câmara Municipal de Parnamirim;
  • 2003 a 2004 - Vice-Presidente da Câmara Municipal de Parnamirim;
  • 2005 a 2006 - Presidente da Comissão de Fazenda,Orçamento e Fiscalização Financeira da Câmara Municipal de Parnamirim;
  • 2007 a 2008 - Presidente da Câmara Municipal de Parnamirim;
  • 1993 a 1996 - Vereador Municipal de Parnamirim;
  • 1997 a 2000 - Vereador Municipal de Parnamirim;
  • 2001 a 2004 - Vereador Municipal de Parnamirim;
  • 2005 a 2008 - Vereador Municipal de Parnamirim.
  • FONTE - SITE DA PREFEITURA DE PARNAMIRIM

vice-prefeito de parnamirim

Epifânio Bezerra de Lima

Vice-Prefeito Municipal, eleito no dia 05 de outubro de 2008, tomou posse no dia 01 de janeiro de 2009.

Nasceu em Natal-RN em 15 de maio de 1955, na maternidade Januário Cicco. Casado com a Sra. Cleide de Carvalho de Lima, assistente social e atual Vice-Prefeita de Várzea, tem dois filhos: Eni Augusto de Carvalho Lima, cursando o último ano em direito e Magno Estefano de Carvalho Lima, bacharel em direito.

Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), aluno laureado da turma de 1982.

Funcionário de carreira da Petrobrás, hoje aposentado

Exerceu os seguintes cargos:

  • Coordenador do setor de custos da gerência de geologia de petróleo;
  • 1993 a 1994 - Presidente da Câmara Municipal de Parnamirim;
  • 1995 a 1996 - Membro da comissão de Fazenda, Orçamento e Fiscalização Financeira da Câmara Municipal de Parnamirim;
  • 1997 a 1998 - Membro da comissão de Constituição, Legislação, Redação e Justiça da Câmara Municipal de Parnamirim;
  • 1999 a 2000 - Vice-Presidente da Câmara Municipal de Parnamirim e Presidente da Comissão de Fazenda,Orçamento e Fiscalização Financeira;
  • 2001 a 2002 - Membro da Comissão de Fazenda, Orçamento e Fiscalização Financeira da Câmara Municipal de Parnamirim;
  • 2003 a 2004 - Vice-Presidente da Câmara Municipal de Parnamirim;
  • 2005 a 2006 - Presidente da Comissão de Fazenda,Orçamento e Fiscalização Financeira da Câmara Municipal de Parnamirim;
  • 2007 a 2008 - Presidente da Câmara Municipal de Parnamirim;
  • 1993 a 1996 - Vereador Municipal de Parnamirim;
  • 1997 a 2000 - Vereador Municipal de Parnamirim;
  • 2001 a 2004 - Vereador Municipal de Parnamirim;
  • 2005 a 2008 - Vereador Municipal de Parnamirim.
  • FONTE - SITE DA PREFEITURA DE PARNAMIRIM

mais

PORTAL OESTE NEWS

PORTAL OESTE NEWS
COM 13 BLOGS E 1087 LINKS. EQUIPE: JOTA MARIA, JOTAEMESHON WHAKYSHON, JULLYETTH BEZERRA E JOTA JÚNIOR

Minha lista de blogs

Quem sou eu

Minha foto
SOU POLICIAL MILITAR DA RESERVA REMUNERADA DA GLORIOSA E AMADA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, EXERCI A FUNÇÃO DE DELEGADO DE POLÍCIA NAS CIDADES DE APODI, FELIPE GUERRA,ITAÚ, RODOLFO FERNANDES, GOVERNADOR DIX-SEPT ROSADO, SÃO MIGUEL, DR. SEVERIANO, TENENETE ANANIAS E MARCELINO VIEIRA, ALÉM DE TER TRABALHADO NAS CIDADES DE MOSSORÓ, AREIA BRANCA, SERRA DO MEL, CARAÚBAS E PAU DOS FERROS. AMO A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS E AMO AMO AO MEU PRÓXIMO COMO AMO A MIM MESMO. SOU TORCEDOR DO BARAÚNAS (MOSSORÓ) E FLUMINENSE(RJ, TENHO A POLÍCIA MILITAR DO MEU ESTADO COMO UMA VERDADEIRA MÃE, TENDO EM VISTA QUE FOI NELA QUE PUDE CRIAR MEUS FILHOS E APRENDER UM MONTÃO DE COISAS BOAS.